Interlagos tem que ser PRESERVADO


Apoie este Abaixo-Assinado. Assine e divulgue. O seu apoio é muito importante.

Luta para impedir o LOTEAMENTO de Interlagos conforme declarado pelo presidente da Câmara, vereador Milton Leite em 21 de Novembro de 2017.
O próprio prefeito Doria prometeu a preservação do USO do autódromo, mas o que se vê de suas declarações e atitudes é que sua intenção é vender o terreno ao invés de privatizar a gestão. Se vender, nada obriga o novo dono a não fazer de Interlagos um “paliteiro” de prédios.
O prefeito deveria manter sua palavra e Privatizar a Gestão.
Interlagos foi inserido na Operação Interligada Arco do Jurubatuba que vai permitir o adensamento ao lado dos mananciais Represas Billings e Guarapiranga. Vai ser permitida a construção de OITO vezes a área do terreno, o que desperta a cobiça dos especuladores imobiliários. UM COMPLETO ABSURDO.
É mentira que Interlagos custa para a prefeitura, Interlagos se paga com as receitas de aluguel para corridas, eventos de montadoras, shows como o Lolapalooza e outros como eventos religiosos. Não fica um dia sem uso e a SPTuris cobra caríssimo.
O prefeito Doria mistura de propósito os gastos com as eternas reformas para a Formula 1 que são feitas todos os anos, mas que nada tem a ver com Interlagos. A prefeitura investe nessas obras e se ressarce pelo maior movimento econômico na cidade que acarreta aumento na arrecadação de impostos.
O prefeito junta o gasto pela prefeitura na Formula 1 em uma coisa só para dizer que Interlagos dá prejuízo. Não dá nenhum prejuízo, pois as contas são separadas e os gastos com a Formula 1 são ressarcidos pela maior arrecadação de impostos conforme dito acima.
Fora que é um absurdo se destruir um equipamento que recebeu da prefeitura do Haddad investimentos de mais de R$ 200 milhões vindos do Governo Federal. Mesmo o atual prefeito, vai investir R$ 40 milhões para destruir e construir novos Boxes em uma obra não necessária, pois o motivo é apenas se aumentar o pé direito em meio metro. Ao invés de destruir e jogar fora toda a estrutura e instalações elétricas, água, ar comprimido, seria muito mais barato se rebaixar os pisos, coisa que poderia ser feita por máquinas por ser “obra bruta” sem acabamento algum.
Todo esse investimento feito será jogado fora se Interlagos for VENDIDO E LOTEADO. O prefeito Doria vai jogar R$ 240 milhões no mínimo de nosso dinheiro no LIXO.
Como o prefeito pode se intitular Gestor de alguma coisa se vai gastar R$ 40 milhões em Abril de 2018 para reformar os boxes e depois jogar esse investimento no lixo vendendo o terreno?
O Ministério Público Federal tem que investigar porque esse dinheiro para a última reforma de Interlagos veio de VERBAS FEDERAIS do PAC.
Ninguém é contra a Privatização da Gestão, pois pior que a SPTuris não fica, a VENDA PURA E SIMPLES DO TERRENO como quer o Burgomestre e o Presidente da Câmara é INACEITÁVEL por ser lesiva aos cofres públicos, ao povo do entorno que usa os equipamentos dentro de Interlagos e para o automobilismo que emprega milhares de pessoas, na maioria humildes que tiram das corridas o seu ganha pão.
Ao contrário do que pensa o vereador Milton Leite, que só defende o samba, Interlagos dá emprego e sustento para milhares de pessoas, pois para se colocar um carro de corrida em uma pista se dá emprego a 5 famílias. A mesma coisa os shows como Lolapalooza e outros que empregam milhares de pessoas.
O vereador e o prefeito, ou nada sabem ou mentem, ao dizer que o equipamento é ocioso e não usado pelo povo, além de custar.
Interlagos não fica um dia por ano sem ser usado, a não ser quando fica fechado para a Formula 1 que nada paga pelo uso. É usado SIM e não dá NENHUM PREJUÍZO para a prefeitura. O prefeito gestor usa contabilidade criativa, mistura custeio com investimento e mistura contas, tudo para enganar e dizer que Interlagos dá prejuízo.
A motivação para a VENDA do TERRENO é claramente se DESTRUIR Interlagos para aplacar a cobiça dos especuladores imobiliários.
A foto aérea mostra o entorno de Interlagos totalmente ocupado por bairros degradados às margens das represas. Imagine-se aumentar em 8 vezes a área de construção como se quer fazer com a Operação Arco do Jurubatuba.